Confira o nosso
Você + Fit
home > blog > Artigo: BCAA, aminoácidos essenciais para sua performance!
Últimas postagens
Artigo: BCAA, aminoácidos essenciais para sua performance!

Um dos suplementos preferido dos atletas, por seus resultados incríveis, e estudos comprovados, o BCAA ganha novos adeptos a cada dia também por pessoas que precisam de um suporte na manutenção da massa muscular já existente. Dentre alguns benefícios, este suplemento reduz a fadiga, promove imunidade e ajuda consideravelmente no ganho e manutenção de massa muscular. Descubra o que mais ele pode fazer pela sua saúde!

O QUE É O BCAA?

BCAA é a uma sigla, que em inglês de branched-chain amino acids (aminoácidos de cadeia ramificada). É composto por: Leucina, Isoleucina, Valina. São parte dos 9 aminoácidos essenciais para os seres humanos, ou seja, não são produzidos de forma endógena e precisam ser ingeridos ou suplementados. Aproximadamente 35% dos músculos estriados são constituídos por esses 3 aminoácidos:

Leucina: aminoácido com maior impacto na síntese proteica. Por ser um aminoácidos de cadeia longa ramificada, é metabolizado nos músculos e não do fígado. Ajuda a aumentar os níveis do hormônio de crescimento e consegue atrasar o início do catabolismo. Este aminoácido promove o aumento de energia, força e ganho de massa muscular.

Isoleucina: é um isômero da leucina, com papel importante na regulação da glicose no sangue e equilíbrio do nitrogênio. Aumenta a proteína muscular e auxilia na recuperação pós treino.

Valina: aminoácido necessário para o funcionamento do sistema nervoso, imunológico, reparação das fibras musculares e regulação de nitrogênio. Quando combinado com a leucina e a isoleucina aumenta a força, energia e promove o ganho de massa muscular.

ABSORÇÃO:

A absorção ocorre no intestino, onde vai ser transportado até o fígado para ser utilizado como síntese proteica, e distribuído, via circulação sistêmica, o qual se deposita preferencialmente no músculo esquelético. Vários estudos têm demonstrado que a suplementação com BCAA está associada à melhora do estado catabólico comumente observado nos pacientes com cirrose, encefalopatia hepática e pode ser útil na prevenção da falência hepática progressiva. Nos exercícios físicos, o BCAA tem sido estudado pelo seu efeito anabólico e anti-catabólico.

MECANISMO DE AÇÃO:

Durante o exercício prolongado, o glicogênio muscular é depletado e o músculo aumenta sua dependência dos BCAA’s como fonte de energia. Isso acaba reduzindo a proporção plasmática de BCAA com relação ao triptofano. Como o BCAA compete com o triptofano para entrar no cérebro, uma baixa proporção facilitaria a entrada do triptofano para formar serotonina, levando a fadiga central. Suplementar com BCAA retarda a fadiga central por aumentar a proporção do BCAA em relação ao triptofano.

O consumo de BCAA antes dos exercícios aumenta a síntese proteica por estimular alguns hormônios, tais como o GH, a insulina e a testosterona, melhorando assim a massa muscular. Em esporte de longa duração, a diminuição do BCAA pode levar a uma supressão do sistema imune através da diminuição dos níveis de glutamina. Neste caso, o BCAA pode melhorar a resposta imune em atletas por evitar a redução da glutamina durante o exercício.

A suplementação de BCAA evita a diminuição da glutamina e diminui a incidência de infecções. Assim, alguns estudos têm mostrado efeitos da suplementação com BCAA no apoio a hipertrofia muscular, ação anticatabólica; retardo da fadiga central, melhora da performance, poupador dos estoques de glicogênio muscular, aumento dos níveis plasmáticos de glutamina, após exercício intenso, podendo fortalecer o sistema imunológico.

VANTAGENS:

• Estimulo da síntese proteica

• Melhora a resposta imune

• Aumento da força muscular e fonte de energia, diminuindo a fadiga.

• Limita a formação de amoníaco, uma substância tóxica que interrompe a síntese proteica.

• Apoio ao emagrecimento: a ingesta de BCAA funciona melhor quando o músculo está em um estado catabólico, evitando a perda de massa muscular e ajudando quem está em dietas para perda de gordura.

https://mixnutri.com.br/produto/bcaa-811/

Referências 1. Wagenmakers AJM. Amino acids metabolism in exercise. In: Maughan RJ (editor), Nutrition in Sport. Blackwell Sciences, Oxford, 2000. 2. Blomstrand E, Celsing F, Newsholme EA. Changes in plasma concentrations of aromatic and branchedchain amino acids during sustained exercise in man and their possible role in fatigue. Acta Physiol Scand 1988; 133: 115-21. 3. Barchas JD, Freedman DX. Brain amines: response to physiological stress. Biochem Pharmacol 1963; 12: 1232-5. 4. Blomstrand E, Perrett D, Parry-Billings M, Newsholme EA.Effect of sustained exercise on plasma amino acid concentrations and on 5-hydroxytryptamine metabolism in six different brain regions in the rat. Acta Physiol Scand 1989; 136: 473-81. 5. Chaouloff F, Laude D, Elghozi JL. PHysical exercise: evidence for differential consequences of tryptophan on 5-HT synthesis and metabolism in central serotonergic cell bodies and terminals. J Neural Transm 1989; 78: 121-30 6. Newsholme EA, Blomstrand E. Branched-chain amino acids and central fatigue. J Nutr 2006; 136: 274S-6S. 7. Blomstrand E. A role for branched-chain amino acids in reducing central fatigue. J Nutr. 2006; 136: 544S-547S 1. . 8. Calder, PC. Branched-chain amino acids and immunity.J Nutr 2006; 136: 288S-93S. 8. Hiscock N, Pedersen BK.Exercise-induced immunodepression- plasma glutamine is not the link. J Appl Physiol 2002; 93: 813-22. 9. Castell LM. Can glutamine modify the apparent immunodepression observed after prolonged exhaustive exercise? Nutr 2002; 18: 371-5 10. Kargotich S, Goodman C, Dawson B, Morton AR, Keast D, Joske DJ. Plasma glutamine responses to high-intensity exercise before and after endurance training. Res Sports Med 2005; 13: 287-300 11. Bassit, RA; Sawada, LA, Bacurau, RFP, Navarro, F, Rosa LFBP. The effect of BCAA supplementation upon the immune response of thiathletes. Med Sci Sports Exerc 2000: 32: 1214-9. 12. Wagenmakers AJM, Coakley JH, Edwards RTH. Metabolism of branchedchain amino acids and ammonia during exercise: clues from McArdle’s disease. Int J Sports Med 1990; 11: S101–13. 13. Wagenmakers AJM. Muscle amino acid metabolism at rest and during exercise: role in human physiology and metabolism. Exerc Sport Sci Rev 1998; 26: 287-314 14. McLean DA, Grahan TE, Saltin B. Branched-chain amino acids augment ammonia metabolism while attenuating protein breakdown during exercise. Am J Physiol 1994; 267: E1010-22 15. Van Hall G, Raaymakers JSH, Saris WHM & Wagenmakers AJM. Ingestion of branched-chain amino acids and tryptophan during sustained exercise: failure to affect performance. J Physiol 1995; 486: 789-94. 16. Van Hall G, McLean DA, Saltin B & Wagenmakers AJM. Mechanisms of activation of muscle branchedchain a-keto acid dehydrogenase during exercise in man. J Physiol 1996; 494: 899-905. 17. Gibala MJ, Young ME, Taegtmeyer H. Anaplerosis of the citric acid cycle: role in energy metabolism of heart and skeletal muscle. Acta Physiol Scand 2000; 168: 657-65.

INOVAÇÃO NUTRICIONAL / NUTRIÇAO FUNCIONAL / SAUDE E EMPRENDEDORISMO